As férias e o meu propósito.

Eu preciso começar com o famoso: que seja eterno enquanto dure!
Quero que essas férias dure tanto, mas tanto, que eu me esqueça completamente de todas as senhas de acesso quando voltar ao trabalho.

Tem coisa melhor do que férias? Trabalhamos loucamente, 40 horas por semana, passamos a maior parte da nossa vida no ambiente de trabalho. Pensa bem: grande parte das pessoas ficam na empresa no mínimo 9 horas por dia (eu, com certeza trabalhei muito mais no último ano… dá medo só de pensar em ver esse número real). Considerando que as pessoas procuram ter mais saúde, priorizam aquele sono apaziguador de 8 horas (assim se espera), tirando a média de 2 horas do dia no trânsito de casa para o trabalho, e no meu caso, academia de no mínimo 1 hora, sobram 4 míseras horas para “viver”. Na real mesmo, essas últimas 4 horas são utilizadas para tomarmos aquele banho, e passarmos algum momento com a família e quem amamos – o que convenhamos é muito pouco.

Ainda seguindo esse raciocínio, o ano de 2018 foi composto por 366 dias, sendo que 251 foram dias úteis e tivemos 106 dias compostos por sábado e domingo. Isso justifica a ansiosa espera por cada final de semana.

Por isso eu defendo muito que temos que fazer o que realmente amamos. Não tem outra saída, vivemos em um mundo capitalista e se queremos realizar nossos sonhos e viver em nossa plenitude, o trabalho é necessário. E é muito bom trabalhar, nos desenvolver… quantas pessoas estão sonhando com uma oportunidade para ao menos ter em casa o básico para sobreviver, não é mesmo? Por isso é importante enxergarmos em meio ao caos, o quão abençoados somos e sermos gratos por ter a opção de escolha.

Eu, na verdade, ando pensando muito nesse desafio entre equilibrar a minha vida profissional e pessoal. Em tentar fazer dos dois algo muito engrandecedor pra mim a ponto de não fazer tanta diferença assim o quanto me dedico – desde que esteja nítido o ganho e que eu não tenha aquela sensação de estar desperdiçando minha vida e meu tempo.

Sinto que essa será uma busca constante e que a cada momento da minha vida, virão respostas diferentes. Empreender certamente é um caminho, mas temos que tomar o cuidado de não cair em armadilhas e abrir um negócio que escravize mais ainda e que no final das contas, não vai ter um propósito tão verdadeiro que justifique sair do mundo corporativo.

Enquanto essas respostas não chegam, o que busco agora nas férias é viver intensamente os dias ausentes do escritório. Seja viajando, ficando mais presente em casa com minha família e também me dando a oportunidade de tornar meus dias mais felizes ao fazer todas as coisas que amo e que dificilmente encontro tempo.

Se fosse há três anos atrás, estaria inconformada em ficar em casa durante as férias. Pra mim era injustificável desperdiçar o meu tempo livre em casa, na rotina. Era o mesmo que deixar de viver. Eu literalmente pegava o voo para o destino das férias logo no primeiro dia. Já aconteceu de pegar o voo de férias saindo direto do trabalho, no último dia de expediente e o retorno, obrigatoriamente acontecia um dia antes do retorno ao trabalho.
Ah… bons tempos onde a ânsia por viver experiências diferentes gritavam em mim. Férias sem viagem não existia no meu mundo, era incocebível.

Agora me peguei em um momento diferente. Um momento em que preciso de alguns dias iniciais para me acalmar. Organizar algumas coisas em casa, criar minha rotina de meditação, academia, caminhada, seriado, introspecção, planos… E como é bom estar assim também! Notei que precisamos muito desse tempo, onde somos o principal foco. Não é um novo país, ou uma atração turística totalmente diferente. Eu sou a principal protagonista por esses dias, e isso está sendo incrível!

É claro que programei os dias de viagem, mas eles acontecerão em um segundo momento. Fazer nada também é enriquecedor.
E tô torcendo demais pra que esses dias em casa, dentro da minha nova rotina, passem bem devagar, pra que eu possa deliciar cada minuto deles.

E assim me conheço, me renovo, me transformo.

Tenho 20 dias, 320 horas na ativa e bem acordada, pra me re-construir, alinhar meus propósitos, para alcançar minha existência plenamente.
Quero voltar a atuar no meu dia a dia com paixão e total energia.
Com sentido sabe? Sentido e certeza de que estou investindo o bem mais precioso que tenho, o meu tempo, em algo que acredito e quero.
Não quero perceber que não busquei meus propósitos de vida só aos 60 anos. O tempo não volta, e também não para.

Então o jeito é não ter medo das descobertas, dos sentimentos e do que está por vir. Eu vivo falando pra todo mundo em tom de brincadeira: “Vai lá! Se joga! Sem medo de ser feliz.”
Pois bem, acho que preciso de menos teoria e mais prática.
Afinal, isso sim é viver.

FÉRIAS, VEM NI MIM!

6 comentários em “As férias e o meu propósito.

  1. Me arrepiei lendo esse texto! Quanta verdade e maturidade! Amei! Espero que todos possam alcançar essa paz, inclusive eu! Parabéns e desejo que essas sejam as melhores férias da sua vida.. Até que as próximas sejam melhores ainda!

    Curtir

    1. Oi Li! Td bem? Nossa que legal receber seu comentário! Eu espero inspirar as pessoas pelo menos um pouquinho… e quem sabe tornar a vida de alguém mais leve né? Volte sempre viu?!
      E se tiver dicas de temas posts me manda 🙂♥️ bjuuu

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s