Sobre o poder da escolha

Estive refletindo sobre o porquê algumas pessoas vivem se queixando de falta de oportunidades, enquanto outras se perdem entre tantas escolhas a se fazer. E também sobre como muitas vezes as pessoas adiam sempre o que deveria ser logo resolvido.

Você já se deparou com uma situação parecida? Entre ter um amigo desempregado por exemplo, que diz procurar e não encontrar uma só oportunidade e o outro no mesmo exato instante, ter uma ótima posição profissional e receber outra proposta a ponto de ter que pensar se vai ou se fica? Enquanto um, se queixa do mundo e da crise econômica, o outro se perde entre permanecer onde está (feliz e bem remunerado) ou em tentar o novo, que parece ser também muito instigante.

A mesma coisa se vale para relacionamentos. Conheço pessoas que morrem de medo de terminar um relacionamento (quando não existe mais algum sentido em permanecer ali) e outras que são completamente felizes sozinhas mesmo podendo escolher entre muitos pretendentes.E o mais engraçado nisso tudo, é que as pessoas “sortudas” do segundo grupo, constantemente se sentem confusas por sempre ter o que escolher.

Eu me sinto assim o tempo todo. Perdida entre o caminho A e o B. Entre ir ou ficar.E não que eu seja melhor do que qualquer outra pessoa, mas eu também observei que o que me difere de alguém que reclama nunca poder escolher é apenas a visão. Tudo depende do quão atento você está para as oportunidades, para as alternativas e para a vida.Pode parecer clichê, mas todo mundo está fazendo escolhas o tempo todo e por algum motivo, uma parcela apenas não consegue (ou não quer) enxergar.

“Acordar logo cedo de bom humor ou irritado, reclamando da vida, é uma escolha. Trabalhar todos os dias em algo que não te faz feliz, também é uma escolha. Lutar por algo que sempre sonhou, sem medir esforços é outra escolha. Acreditar que vai conseguir, que vai conquistar, que pode alcançar o infinito, também é uma escolha. Até fazer absolutamente nada, é uma escolha.”

E convenhamos, é muito mais fácil apenas seguir a rota. Quando você assume para si mesmo que não tem escolhas, não tem como se culpar ou responsabilizar caso o caminho lá na frente tome um rumo indesejado. Mas a partir do momento em que a direção está nas suas mãos, a responsabilidade total pelo resultado daquela escolha é somente sua. Enfim, a vida de todo mundo é repleta de decisões – e até os que reclamam com certeza se recordam de momentos chave onde tiveram que fazer uma importante escolha. 

E então, quando você percebe que existem sim escolhas e que a decisão do rumo que a sua vida vai tomar está em suas mãos, tudo fica mais fácil correto? Errado.

Aí é que tudo se complica.Ponderar as alternativas e se sentir seguro nas decisões é algo bem mais difícil do que não ter o que escolher.Estive pensando muito sobre o porquê minha vida sempre foi desafiadora. Tentei buscar algum momento específico onde a decisão entre uma coisa ou outra fosse algo fácil ou simples de se fazer. E até mesmo por alguma situação em que eu não tivesse que decidir absolutamente nada. Apenas aceitar. Por incrível que pareça, não encontrei nos 32 anos vividos, algum momento importante em que eu simplesmente optei por um caminho e dei os próximos passos naquela direção sem titubear ou se quer olhar pra trás. Sem drama, sem milhões de questionamentos. 

Não conseguimos ligar os pontos antes. Temos que viver a escolha e lá na frente conferir o resultado tudo aquilo vai dar. Isso é o que torna livre arbítrio em algo tão intrigante. 

E então, qual é mesmo o segredo disso tudo?
O que difere aqueles que escolhem de forma decidida, entre os tantos outros que se sentem inseguros e perdidos diante das situações, seja talvez os anos vividos. Após terem corajosamente feito milhões de escolhas (conscientes claro) no percurso da vida, é que acabaram se tornando um Expert no assunto, e lidar de forma tranquila com a situação é só o reflexo disso tudo.

Mas isso não passa de achismo da minha parte. Porque não existe um manual sobre “como lidar com os conflitos e escolher o melhor caminho”.Se existe algum manual por aí me fale, mas se encontrar algo deve seguir mais a linha “como aparentar ser seguro nas decisões” do que qualquer outra coisa mais séria ou profunda.

A insegurança é uma forma de auto defesa, mas o medo não deve prevalecer porque se deixarmos ele crescer, nenhum sonho será bom o suficiente para agirmos. 

Pesar os prós e contras pode ajudar, mas eu sempre digo que seguir o coração é a melhor saída. Ele deve falar forte o suficiente pra não deixar qualquer dúvida.O medo não pode falar mais alto que a coragem. E a coragem? Ela vai ser sempre essencial para fazermos a diferença pra nós mesmos, e é ela que difere um vencedor de alguém que nunca tenta por medo de falhar.

Vamos encher o mundo de pessoas corajosas, felizes e que fazem aquilo que mais amam.Isso não é utopia. É reconhecer e honrar a sua própria essência.

Beijinhos e muita coragem pra você!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s